Tempo de leitura deste artigo:4 minutos

Em um artigo científico realizado em 2012, foram identificadas as caraterísticas e perfil da mãe que amamenta por 2 anos ou mais.

No artigo científico feito por Elisa Justo Martins, Enfermeira, Hospital de Clínicas de Porto Alegre e Elsa Regina Justo Giugliani, Doutora, Professora associada, Departamento de Pediatria, UFRGS, RS, alguns fatores que podem desencadear o sucesso ou não da amamentação prolongada e o perfil da mãe que consegue amamentar por mais de 2 anos foram identificados, o interessante a se notar é que os impeditivos para o sucesso da amamentação prolongada ainda hoje atrapalham mães todos os dias. O estudo acompanhou 151 crianças selecionadas no Hospital de Clínicas de Porto Alegre, do nascimento até a idade de 3 a 5 anos. As mães foram entrevistadas pessoalmente na maternidade, aos 7 e 30 dias após o parto, e quando as crianças tinham entre 3 e 5 anos.

A conclusão do estudo sugere que as mães que conseguem amamentar por mais de 2 anos de idade da criança tem algumas características em comuns, como:

  • Permanecem em casa com seus bebês por pelo menos 6 meses de licença maternidade,
  • Não usam bicos artificiais como chupetas,
  • Fazem a introdução alimentar de acordo com o que preconiza os Orgãos de Saúde: a partir do sexto mês de idade,
  • Não coabitam com o companheiro.

O dado que nos chama atenção é principalmente o último porque ele nos revela que as mulheres ainda não tem total apoio dos companheiros para a amamentação prolongada e que o marido em vez de ser um apoiador da amamentação junto da mulher em benefício do filho, pode na verdade ser alguém que desestimula a amamentação. Vários podem ser os motivos desde a associação sexual que é feita com os seios, ciúmes da atenção demandada a criança, falta de informação sobre os benefícios e vantagens do aleitamento materno e até mesmo o sentimento de posse em relação ao corpo da mulher/mãe.

Há de se pensar que, sim, as mulheres precisam de mais tempo de licença maternidade para que consigam manter a amamentação, precisam de informação a respeito de como conseguir e o que pode interferir no processo como os bicos artificiais e o famoso “comi e não morri”, “dei para o meu filho e ele é saudável” precisa perder a força que tem acima das orientações dos Orgãos de Saúde a respeito da introdução alimentar adequada, bem como os pediatras desatualizados que insistem em iniciar introdução alimentar antes do tempo confundindo a maioria das mulheres com sua falta de estudo e atualização a respeito.

Leia também:

Quando pensamos em amamentação, percebemos que existem uma série de fatores, não apenas um, que podem minar a história de amamentação de muitas mulheres e que estes fatores as vezes desconsiderados podem ser determinantes para o sucesso da amamentação, então não, amamentar não depende apenas de força de vontade da mãe, apesar de esta ser uma chama que a move e a faz buscar pelo sucesso no processo, ela precisa de mais do que isto.

E fica o alerta para todos os homens maridos, namorados, companheiros…O que vocês tem feito para ajudar a parceira de vocês a conseguirem amamentar pelo tempo que ela deseja? Vocês tem respeitado essa decisão e se informado a respeito?

Confira a pesquisa na íntegra aqui: Quem são as mulheres que amamentam por 2 anos ou mais?

 

Deixe um Comentário

comments